HOMENAGEM: Escultura com triplo do tamanho de Irmã Dulce é novo cartão postal da Cidade Baixa

da redação
Atualizado em 08/01/2017 às 10:20
Foto: Romildo de Jesus/ Tribuna da Bahia

Uma escultura que ultrapassa quatro metros, quase três vezes mais do que os 1,50m de altura de Irmã Dulce, virou o novo cartão postal da Cidade Baixa, em Salvador. A obra, que pesa uma tonelada, é o monumento de atração ao Memorial de Irmã Dulce, instalado no Largo de Roma, junto à sede das Obras Sociais, instituição criada pela freira, beatificada na igreja Católica em 2011, pelo papa Bento XVI. A imagem retrata a Bem Aventurada Dulce dos Pobres com uma lamparina nas mãos.

Instalada em um dos pontos mais altos da Cidade Baixa, a escultura pode ser vista de bairros como a Liberdade e Santo Antônio Além do Carmo e durante a travessia Ilha de Itaparica-Salvador. Já foi apelidada por alguns fiéis como “O Cristo Redentor de Salvador”.

No local está instalado o memorial, que é um dos ícones do turismo religioso na capital baiana e recebeu mais de 81 mil visitantes em 2016. Para Maria Rita Pontes, superintendente da Osid, a imagem – já utilizada na montagem de um presépio da Arquidiocese de Salvador – ocupa local de destaque, a 20 metros do solo, e representa “um ponto de luz a iluminar a cidade”.

LEIA MAIS: VOVÓ CELEBRIDADE: conheça a senhora que arrancou elogios de Anitta, Marinho e até de Ivete

LEIA MAIS: MAIOR ONDA: agente da Transalvador confisca chave de motorista de Uber; veja o vídeo

Durante celebração presidida pelo frei Mário Erky, na noite desta sexta-feira (6), a imagem foi apresentada a fiéis, pacientes das Obras Sociais de Irmã Dulce (Osid) e autoridades, como o secretário estadual de Turismo, José Alves. O evento abriu o calendário de homenagens em memória aos 25 anos da morte de Irmã Dulce.

“A escultura agora é mais um cartão-postal de Salvador. Além do bairro de Roma, ela pode ser vista a partir de diversos pontos da cidade, como Liberdade e Santo Antônio Além do Carmo. Quem fizer a travessia para a Ilha de Itaparica também poderá ver a bela imagem enquanto navega nas águas da Baía de Todos-os-Santos”, comemora Alves.

Fibra, carpete, madeira e arame

Criada pelo artista plástico Zaca Oliveira, a peça foi produzida em 2012 para um presépio da Arquidiocese de Salvador montado no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Após a desmontagem do presépio, a imagem foi então doada às Obras Sociais Irmã Dulce. Em 2013, ela foi colocada em um antigo campo de futebol, localizado ao lado da sede da OSID, traduzindo na época o desejo da instituição para que o terreno abrigasse uma futura unidade para tratamento do câncer, tornando-se assim um símbolo da campanha – sonho esse que foi concretizado em 2015, com a inauguração da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) Nossa Senhora de Fátima. Admirador da vida e obra da freira, Zaca recebeu com entusiasmo a notícia da colocação da imagem no alto da casa do Anjo. “Era um sonho antigo ver esta escultura na casa onde ela acolheu e encheu de luz a vida de tantas pessoas”, declarou.

Produzida em fibra e com materiais de modelagem, como carpete, madeira e arame, a peça recebeu um reforço em sua estrutura para suportar a ação do tempo. “Para ficar mais resistente, ela ganhou peças de metal e um enchimento com fibra e espuma”, explica o gestor de Infraestrutura da OSID e idealizador da iniciativa de instalação da imagem, o engenheiro Jorge Eduardo. Responsável pela operação para colocação da escultura, o líder da Engenharia Clínica das Obras Sociais, João Salomão, revela outros atrativos que acompanharão a peça: “Irmã Dulce estará segurando uma lamparina e vai ganhar uma iluminação cênica moderna, como se estivesse emanando luz e proteção para todos”.

LEIA MAIS: REUNIÃO DE PAUTA: Vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis fala que nunca votaria no PT e revela se recebe nudes

LEIA MAIS: INOVAÇÃO: Com saia justa e humor, Aratu Online entrevista futuro presidente da Câmara de Salvador

Turistas da religião

Após a celebração, o assessor de Memória e Cultura das Osid, Osvaldo Gouveia, explicou que os registros de visitação vêm aumentando nos últimos anos, depois da beatificação da freira. “Entre dezembro do ano passado e o início de janeiro, o movimento tem sido significativamente maior que nos períodos anteriores. Somente no último sábado (31), 430 pessoas visitaram nossas instalações”, afirma Gouveia, que destacou ainda a forte presença de sergipanos, pernambucanos, paulistas, cariocas, mineiros e gaúchos.

Localizado no Largo de Roma, o memorial é aberto à visitação de terça a domingo, das 10h às 17h, e reúne objetos pessoais, fotografias e obras de arte que representam a vida de Irmã Dulce. Entre os destaques estão imagens, como um Santo Antônio, e a mobília do quarto da religiosa. Uma lojinha vende artigos religiosos e lembranças como forma de arrecadar recursos para a manutenção do local.

Assim como o Centro Histórico, a Península de Itapagipe é uma das regiões de Salvador com grande número de atrativos para o turismo religioso. Entre eles estão o Memorial de Irmã Dulce e as igrejas do Bonfim, de Monte Serrat, Boa Viagem e Mares.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos na página  facebook.com/aratuonline e também pelo youtube.com/televisaoaratu

Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA

HOMENAGEM: Escultura com triplo do tamanho de Irmã Dulce é novo cartão postal da Cidade Baixa

Fonte: da redação
Atualizado em 08/01/2017 às 10:44

Uma escultura que ultrapassa quatro metros, quase três vezes mais do que os 1,50m de altura de Irmã Dulce, virou o novo cartão postal da Cidade Baixa, em Salvador. A obra, que pesa uma tonelada, é o monumento de atração ao Memorial de Irmã Dulce, instalado no Largo de Roma, junto à sede das Obras Sociais, instituição criada pela freira, beatificada na igreja Católica em 2011, pelo papa Bento XVI. A imagem retrata a Bem Aventurada Dulce dos Pobres com uma lamparina nas mãos.

Instalada em um dos pontos mais altos da Cidade Baixa, a escultura pode ser vista de bairros como a Liberdade e Santo Antônio Além do Carmo e durante a travessia Ilha de Itaparica-Salvador. Já foi apelidada por alguns fiéis como “O Cristo Redentor de Salvador”.

No local está instalado o memorial, que é um dos ícones do turismo religioso na capital baiana e recebeu mais de 81 mil visitantes em 2016. Para Maria Rita Pontes, superintendente da Osid, a imagem – já utilizada na montagem de um presépio da Arquidiocese de Salvador – ocupa local de destaque, a 20 metros do solo, e representa “um ponto de luz a iluminar a cidade”.

LEIA MAIS: VOVÓ CELEBRIDADE: conheça a senhora que arrancou elogios de Anitta, Marinho e até de Ivete

LEIA MAIS: MAIOR ONDA: agente da Transalvador confisca chave de motorista de Uber; veja o vídeo

Durante celebração presidida pelo frei Mário Erky, na noite desta sexta-feira (6), a imagem foi apresentada a fiéis, pacientes das Obras Sociais de Irmã Dulce (Osid) e autoridades, como o secretário estadual de Turismo, José Alves. O evento abriu o calendário de homenagens em memória aos 25 anos da morte de Irmã Dulce.

“A escultura agora é mais um cartão-postal de Salvador. Além do bairro de Roma, ela pode ser vista a partir de diversos pontos da cidade, como Liberdade e Santo Antônio Além do Carmo. Quem fizer a travessia para a Ilha de Itaparica também poderá ver a bela imagem enquanto navega nas águas da Baía de Todos-os-Santos”, comemora Alves.

Fibra, carpete, madeira e arame

Criada pelo artista plástico Zaca Oliveira, a peça foi produzida em 2012 para um presépio da Arquidiocese de Salvador montado no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Após a desmontagem do presépio, a imagem foi então doada às Obras Sociais Irmã Dulce. Em 2013, ela foi colocada em um antigo campo de futebol, localizado ao lado da sede da OSID, traduzindo na época o desejo da instituição para que o terreno abrigasse uma futura unidade para tratamento do câncer, tornando-se assim um símbolo da campanha – sonho esse que foi concretizado em 2015, com a inauguração da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) Nossa Senhora de Fátima. Admirador da vida e obra da freira, Zaca recebeu com entusiasmo a notícia da colocação da imagem no alto da casa do Anjo. “Era um sonho antigo ver esta escultura na casa onde ela acolheu e encheu de luz a vida de tantas pessoas”, declarou.

Produzida em fibra e com materiais de modelagem, como carpete, madeira e arame, a peça recebeu um reforço em sua estrutura para suportar a ação do tempo. “Para ficar mais resistente, ela ganhou peças de metal e um enchimento com fibra e espuma”, explica o gestor de Infraestrutura da OSID e idealizador da iniciativa de instalação da imagem, o engenheiro Jorge Eduardo. Responsável pela operação para colocação da escultura, o líder da Engenharia Clínica das Obras Sociais, João Salomão, revela outros atrativos que acompanharão a peça: “Irmã Dulce estará segurando uma lamparina e vai ganhar uma iluminação cênica moderna, como se estivesse emanando luz e proteção para todos”.

LEIA MAIS: REUNIÃO DE PAUTA: Vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis fala que nunca votaria no PT e revela se recebe nudes

LEIA MAIS: INOVAÇÃO: Com saia justa e humor, Aratu Online entrevista futuro presidente da Câmara de Salvador

Turistas da religião

Após a celebração, o assessor de Memória e Cultura das Osid, Osvaldo Gouveia, explicou que os registros de visitação vêm aumentando nos últimos anos, depois da beatificação da freira. “Entre dezembro do ano passado e o início de janeiro, o movimento tem sido significativamente maior que nos períodos anteriores. Somente no último sábado (31), 430 pessoas visitaram nossas instalações”, afirma Gouveia, que destacou ainda a forte presença de sergipanos, pernambucanos, paulistas, cariocas, mineiros e gaúchos.

Localizado no Largo de Roma, o memorial é aberto à visitação de terça a domingo, das 10h às 17h, e reúne objetos pessoais, fotografias e obras de arte que representam a vida de Irmã Dulce. Entre os destaques estão imagens, como um Santo Antônio, e a mobília do quarto da religiosa. Uma lojinha vende artigos religiosos e lembranças como forma de arrecadar recursos para a manutenção do local.

Assim como o Centro Histórico, a Península de Itapagipe é uma das regiões de Salvador com grande número de atrativos para o turismo religioso. Entre eles estão o Memorial de Irmã Dulce e as igrejas do Bonfim, de Monte Serrat, Boa Viagem e Mares.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos na página  facebook.com/aratuonline e também pelo youtube.com/televisaoaratu