Banda de reggae Mosiah faz show de lançamento da música Loving Jah

Da redação
Atualizado em 07/01/2017 às 11:27
Foto: Maira Lins/ Divulgação

Cheia de entusiasmo, novas composições e projetos para o ano que se inicia, a banda Mosiah retorna à cena musical para matar a saudade das canções que embalaram muitas histórias e com a proposta de fortalecer ainda mais o reggae baiano.

Com três discos lançados – Mosiah Roots Ao Vivo (2002), Mosiah (2005) e Per Árdua Surgo (2010) – a Mosiah Roots é marco de uma geração jovem baiana, entre o final da década de 1990 e o início dos anos 2000.

Formada por Luciano “Lutte” Correia (vocal), Paulo Fael (teclado), Daniel Guimarães (baixo), Marcos Alexandre (bateria) e JPCastelhano “Boca” (vocal/guitarra), os integrantes expressam através do reggae a sua visão do mundo, como um modo de vida e pelo discurso poético, político, filosófico e espiritualista que podem ser observados em suas canções.

No show de lançamento da música “Loving Jah”, na Arena do SESC Pelourinho, dia 14/01, às 20h,  a Mosiah também revive os seus grandes sucessos: “Em Qualquer Lugar”, “Alma Indomável”, “Pirambeira”, “Poucas Palavras”, entre outras. A abertura terá a participação especial do poeta Zecalu, parceiro de composição de Lutte e JP.

A poesia, a linguagem e a temática refletem sobre o amor, a auto-estima, sobre os anseios humanos, criando uma identificação forte com a identidade baiana e brasileira –  fazendo assim uma ponte entre o local e o universal. É nessa perspectiva que há uma transposição de realidades e temas de ordem social e cultural.
Por essa razão, sucessos como “Dor e Desejo” (de JPCastelhano), “Tempero Doce” e “Reggae Mandinga” (de Luciano Correia) se tornaram populares, entre 1998 e 2000, cativando um público ávido por uma cena musical alternativa.

A presença da guitarra (embrionária no reggae) na formação instrumental se projeta para além do estilo tradicional, inserindo solos durante as canções que imprimem uma sonoridade híbrida entre o rock e o blues.

Raul Seixas e Bob Marley são inspirações para a banda, que também incorpora elementos regionais, como a capoeira e o baião. Outra peculiaridade é a existência de dois vocais, em que primeira e segunda voz se compõem harmonicamente em grandes trechos melódicos.

A história da banda começa no bairro do Itaigara, na garagem da casa do cantor Luciano Correia, através de amigos em comum. Da formação original, apenas Márcio Luiz (percussionista) não faz mais parte do grupo.  O nome significa “Messias” e foi escolhido em homenagem a Marcus “Mosiah” Garvey, que acabou sendo considerado assim pelos seus seguidores. O ativista jamaicano defendia o repatriamento do povo negro para os seus países africanos de origem. A escolha da árvore baobá como marca é muito simbólica, nesse sentido, por expressar resistência.

Contemporânea das bandas Scambo, Adão Negro e Diamba, a Mosiah Roots abriu diversos espaços na cena reggae, conquistando o público universitário, fomentando casas de show da época e rompendo barreiras e preconceitos. Faziam ensaios semanais de reggae durante o ano inteiro. Entraram para a grade do Festival de Verão e na programação do carnaval, na época, tocando em trios, camarotes e palcos do Pelourinho.

Os shows do saudoso Rock in Rio Café eram sempre lotados. O grupo fez história com seus shows no Santana Sushi Bar, Alambique, Anexo, Fernandez Plaza, além de muitas apresentações no Interior da Bahia e em outros estados do Brasil: Itacaré, Ilhéus, Camacã, Barra Grande, Morro de São Paulo, Feira de Santana, Aracajú, Florianopólis, Garopaba e Imbituba.

A Mosiah deu um tempo na carreira, entre 2012 e 2016, quando retornou aos palcos em outubro do ano passado, porém não se apresenta com a formação original há 10 anos. Em 2017, o grupo volta com todo gás e com o projeto de lançar um disco EP.

Serviço
Banda Mosiah faz show de lançamento da música Loving Jah
Dia 14/01
Horário: 20h
Local: Arena do SESC Pelourinho (Largo do Pelourinho, 19, Pelourinho. Salvador/ BA)
Ingressos: R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 20,00 (inteira)