ENTRE O SOL E O INFERNO: O que faz bem e o que faz mal na hora de se bronzear na praia

Daniela Mazzei
Atualizado em 11/01/2017 às 13:50

O brilho do sol e o calor latente estão aí para não nos deixar esquecer que, sim, o verão chegou! Essa tende a ser a estação preferida da maioria dos baianos, quando o clima da cidade fica mais leve, descontraído e animado. É também nessa época do ano que a criançada está de férias e a família não dispensa curtir o final de semana na praia.

E quando chega o verão muita gente quer ficar com aquele bronzeado invejável. Mas, na busca frenética pela ‘cor do pecado’, muita gente acaba apelando e fazendo de tudo para conseguir o bronzeado, passando até dos limites do bom senso e colocando a saúde em risco.

Diante mão, fica o alerta que o uso do protetor solar é indispensável quando a pessoa for se expor ao sol, independente do fato de ela usar outros métodos para se proteger.

LEIA MAIS: “TÁ SALGADO”: Em janeiro, ingressos dos ensaios de verão compram cinco cestas básicas… e sobra

LEIA MAIS: Parapraia abre temporada em São Tomé de Paripe

LEIA MAIS: DICAS DA BARBIE: Modelo ensina dicas de bronzeamento natural e como valorizar a marquinha; Assista

Segundo a dermatologista Juliana Chieppe, o protetor solar deve ser usado com o fator de proteção de no mínimo 30. “É importante destacar que o horário mais indicado para exposição ao sol é antes das 10h e após às 15h”, explica.

E para não te deixar, literalmente, com a fita queimada neste verão, o Aratu Online preparou uma lista do que faz bem e do que faz mal para você se bronzear com segurança neste verão.

Se ligue nas dicas:

1. BETERRABA E CENOURA

Reprodução

Faz bem.

A cenoura e a beterraba, assim como abóbora e mamão, são ricas em betacaroteno, licopeno e vitamina A, que ajudam na pigmentação da pele. Porém, esses alimentos só vão bronzear se a pessoa se expor ao sol após a ingestão. “É como se esses alimentos fossem um preparo para a pigmentação”, diz a dermatologista Juliana Chieppe. A cenoura e beterraba também tornam o bronzeamento mais duradouro.

2. MISTURAS CASEIRAS

Como fazer o próprio creme de bronzeado sem sol

Foto: Winston Struye/Leaf Group – Reprodução

Faz mal.

Algumas fórmulas caseiras, como manteiga, água, sal grosso e azeite, por exemplo, não são indicados porque podem inflamar a pele e causar queimaduras leves ou até mesmo graves, com formação de bolhas, inchaço, febre e desidratação. “O Consenso Brasileiro de Dermatologia não recomenda que nenhum tipo de mistura e receita caseira sejam aplicadas na pele”, diz a dermatologista. A recomendação é sempre usar produtos indicados por profissionais credenciados ou produtos industrializados aprovados dermatologicamente.

3. COCA COLA

Resultado de imagem para mancha na pele causada por coca-cola

Reprodução

Faz mal.

Assim como as misturas caseiras, o uso de Coca-cola na pele não é indicado. Quando em contato com a pele em exposição ao sol, o produto não bronzeia, mas queima, podendo causar queimaduras graves. Além disso, o produto pode manchar a pele. Essas manchas em geral são difíceis de clarear ou até mesmo não clareiam.

4. BIQUÍNI DE FITA

Resultado de imagem para biquíni de fita isolante

Reprodução

Depende.

Nova tendência entre as mulheres que não abrem mão de garantir o bronze com a marquinha perfeita, os biquínis de fita não são indicados porque geralmente a pessoa deve passar um óleo no corpo para atingir o bronzeamento. Porém, nenhum tipo de óleo ou mistura deve ser passada no corpo porque não protegem a pele dos raios solares e podem contribuir para o câncer de pele. Por isso, o biquíni de fita seria interessante se aliado ao uso de um protetor solar.

5. ÁGUA OXIGENADA

Resultado de imagem para água oxigenada para tomar sol

Reprodução

Faz mal.

O uso de descolorantes, como a água oxigenada, é comum entre as mulheres que querem se bronzear e deixar os pêlos loirinhos. Esse produto já tem ação descolorante sem a radiação solar, no entanto, com a exposição ao sol, o produto pode desencadear uma reação alérgica, além de queimaduras e manchas na pele.

6. PÍLULA DE CAROTENO

Resultado de imagem para pílula de caroteno

Reprodução

Faz bem.

As pílulas possuem betacaroteno – pigmento que que favorece o bronzeamento – e é indicado para pessoas que precisam suprir carências de vitamina. No entanto, muitos dermatologistas indicam a pílula durante o verão. “A pílula protege de dentro pra fora e consegue neutralizar a camada mais profunda da pele. Indico muito para os meus pacientes que tem resistência e doenças relacionadas ao sol, como a herpes”, diz a médica dermatologista Juliana Chippe. É importante frisar que o uso da pílula não exclui o do protetor solar.

7. CÂMERA DE BRONZEAMENTO

Reprodução

Faz mal.

As câmeras de bronzeamento artificial garantem um bronzeado bonito a longo prazo sem a pessoa precisar, de fato, se expor ao sol. Apesar disso, o procedimento foi proibido em todo o país em 2009 por trazer sérios riscos à saúde. “O bronzeamento artificial pode causar melanoma, que é o risco mais grave de câncer de pele”, diz a dermatologista.

8. AUTOBRONZEADOR

Reprodução

Faz bem.

Autobronzeadores são cosméticos à base de uma substância que, quando entra em contato com as proteínas da pele, dá um efeito dourado. Os autobronzeadores são feitos à base de dihidroxiacetona, substância que oxida a camada mais superficial da pele, conferindo um aspecto de bronzeado natural. “Essa é uma opção fantástica para se bronzear porque a pessoa não precisa se expor diretamente ao sol e correr riscos”, diz a dermatologista. No entanto, o produto não possui proteção solar. Ou seja, seu uso não exclui o do protetor.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos na página facebook.com/aratuonline e também pelo youtube.com/televisaoaratu.

Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA
X

ENTRE O SOL E O INFERNO: O que faz bem e o que faz mal na hora de se bronzear na praia

Fonte: Daniela Mazzei
Atualizado em 11/01/2017 às 13:52

O brilho do sol e o calor latente estão aí para não nos deixar esquecer que, sim, o verão chegou! Essa tende a ser a estação preferida da maioria dos baianos, quando o clima da cidade fica mais leve, descontraído e animado. É também nessa época do ano que a criançada está de férias e a família não dispensa curtir o final de semana na praia.

E quando chega o verão muita gente quer ficar com aquele bronzeado invejável. Mas, na busca frenética pela ‘cor do pecado’, muita gente acaba apelando e fazendo de tudo para conseguir o bronzeado, passando até dos limites do bom senso e colocando a saúde em risco.

Diante mão, fica o alerta que o uso do protetor solar é indispensável quando a pessoa for se expor ao sol, independente do fato de ela usar outros métodos para se proteger.

LEIA MAIS: “TÁ SALGADO”: Em janeiro, ingressos dos ensaios de verão compram cinco cestas básicas… e sobra

LEIA MAIS: Parapraia abre temporada em São Tomé de Paripe

LEIA MAIS: DICAS DA BARBIE: Modelo ensina dicas de bronzeamento natural e como valorizar a marquinha; Assista

Segundo a dermatologista Juliana Chieppe, o protetor solar deve ser usado com o fator de proteção de no mínimo 30. “É importante destacar que o horário mais indicado para exposição ao sol é antes das 10h e após às 15h”, explica.

E para não te deixar, literalmente, com a fita queimada neste verão, o Aratu Online preparou uma lista do que faz bem e do que faz mal para você se bronzear com segurança neste verão.

Se ligue nas dicas:

1. BETERRABA E CENOURA

Reprodução

Faz bem.

A cenoura e a beterraba, assim como abóbora e mamão, são ricas em betacaroteno, licopeno e vitamina A, que ajudam na pigmentação da pele. Porém, esses alimentos só vão bronzear se a pessoa se expor ao sol após a ingestão. “É como se esses alimentos fossem um preparo para a pigmentação”, diz a dermatologista Juliana Chieppe. A cenoura e beterraba também tornam o bronzeamento mais duradouro.

2. MISTURAS CASEIRAS

Como fazer o próprio creme de bronzeado sem sol

Foto: Winston Struye/Leaf Group – Reprodução

Faz mal.

Algumas fórmulas caseiras, como manteiga, água, sal grosso e azeite, por exemplo, não são indicados porque podem inflamar a pele e causar queimaduras leves ou até mesmo graves, com formação de bolhas, inchaço, febre e desidratação. “O Consenso Brasileiro de Dermatologia não recomenda que nenhum tipo de mistura e receita caseira sejam aplicadas na pele”, diz a dermatologista. A recomendação é sempre usar produtos indicados por profissionais credenciados ou produtos industrializados aprovados dermatologicamente.

3. COCA COLA

Resultado de imagem para mancha na pele causada por coca-cola

Reprodução

Faz mal.

Assim como as misturas caseiras, o uso de Coca-cola na pele não é indicado. Quando em contato com a pele em exposição ao sol, o produto não bronzeia, mas queima, podendo causar queimaduras graves. Além disso, o produto pode manchar a pele. Essas manchas em geral são difíceis de clarear ou até mesmo não clareiam.

4. BIQUÍNI DE FITA

Resultado de imagem para biquíni de fita isolante

Reprodução

Depende.

Nova tendência entre as mulheres que não abrem mão de garantir o bronze com a marquinha perfeita, os biquínis de fita não são indicados porque geralmente a pessoa deve passar um óleo no corpo para atingir o bronzeamento. Porém, nenhum tipo de óleo ou mistura deve ser passada no corpo porque não protegem a pele dos raios solares e podem contribuir para o câncer de pele. Por isso, o biquíni de fita seria interessante se aliado ao uso de um protetor solar.

5. ÁGUA OXIGENADA

Resultado de imagem para água oxigenada para tomar sol

Reprodução

Faz mal.

O uso de descolorantes, como a água oxigenada, é comum entre as mulheres que querem se bronzear e deixar os pêlos loirinhos. Esse produto já tem ação descolorante sem a radiação solar, no entanto, com a exposição ao sol, o produto pode desencadear uma reação alérgica, além de queimaduras e manchas na pele.

6. PÍLULA DE CAROTENO

Resultado de imagem para pílula de caroteno

Reprodução

Faz bem.

As pílulas possuem betacaroteno – pigmento que que favorece o bronzeamento – e é indicado para pessoas que precisam suprir carências de vitamina. No entanto, muitos dermatologistas indicam a pílula durante o verão. “A pílula protege de dentro pra fora e consegue neutralizar a camada mais profunda da pele. Indico muito para os meus pacientes que tem resistência e doenças relacionadas ao sol, como a herpes”, diz a médica dermatologista Juliana Chippe. É importante frisar que o uso da pílula não exclui o do protetor solar.

7. CÂMERA DE BRONZEAMENTO

Reprodução

Faz mal.

As câmeras de bronzeamento artificial garantem um bronzeado bonito a longo prazo sem a pessoa precisar, de fato, se expor ao sol. Apesar disso, o procedimento foi proibido em todo o país em 2009 por trazer sérios riscos à saúde. “O bronzeamento artificial pode causar melanoma, que é o risco mais grave de câncer de pele”, diz a dermatologista.

8. AUTOBRONZEADOR

Reprodução

Faz bem.

Autobronzeadores são cosméticos à base de uma substância que, quando entra em contato com as proteínas da pele, dá um efeito dourado. Os autobronzeadores são feitos à base de dihidroxiacetona, substância que oxida a camada mais superficial da pele, conferindo um aspecto de bronzeado natural. “Essa é uma opção fantástica para se bronzear porque a pessoa não precisa se expor diretamente ao sol e correr riscos”, diz a dermatologista. No entanto, o produto não possui proteção solar. Ou seja, seu uso não exclui o do protetor.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos na página facebook.com/aratuonline e também pelo youtube.com/televisaoaratu.