Você tem sido o melhor de você?

Na semana passada, meu primo Rodrigo, que mora em Ilhéus, me telefonou. Disse que estaria em Salvador na sexta-feira e me perguntou se eu teria algum estúdio de tatuagem para indicar, pois, ele queria tatuar o nome de seu filho Dante, na perna esquerda, pois, já tem  nome de sua filha Sara tatuado na perna direita.

Rodrigo é meu primo-irmão. Passamos boa parte da maioria das nossas férias na casa de praia de meu tio Euclides. Era uma bela reunião de primos: Rodrigo, Tadeu, Milena, Nelsinho, Karina, meu irmão Euclides e eu. Nossa adolescência foi repleta de futebol, praia, amizade, passeios… E muito amor.

Então, primo, que tatuador você me indica? – Perguntou Rodrigo.

Indico Boca Tatoo, que fez minhas duas primeiras tatuagens. Você pretende ir lá que dia?

Amanhã de manhã. Me passe o endereço que eu vou. Sei que você vai estar muito ocupado. 

Sei que você vai estar muito ocupado“. Durante alguns longos segundos, aquelas palavras ficaram ecoando no meu ouvido, até chegar ao meu coração… O Pedro Workaholic é o melhor Pedro que eu posso ser? Foi então que, sem racionalizar muito, falei pra ele:

Eu vou com você amanhã em Boca. De repente eu até faço uma nova tatoo também…

Rodrigo deu uma risada gostosa, que exprimia um misto de surpresa e alegria e emendou:

E o seu trabalho? Você vai poder ir mesmo? Não quero atrapalhar…

Meu trabalho é algo muito importante na minha vida, tanto que trabalho com o que gosto e com uma equipe sensacional, mas, nada é mais importante que a oportunidade de ver quem a gente ama!

Bem… O dia foi incrível. Rodrigo estava acompanhado da sua atual esposa Ana, que eu ainda não conhecia e eu fui acompanhado de minha filha Louise. Nos divertimos muito no estúdio, conversando, relembrando o passado e nos atualizando sobre nossas famílias. No final, acabou que cada um de nós fez uma tatuagem e, mais do que isso, fizemos a diferença nas vidas uns dos outros…

Fiz questão de dividir essa pequena história com vocês pois, foi bastante marcante pra mim, ter escolhido fazer algo diferente no meu dia. Fiz algo não programado, não agendado. Simplesmente eu silenciei meu racional e escutei o meu coração. Troquei uma manhã de trabalho por uma manhã em família, em plena sexta-feira.

E porque eu fiz isso? Por um motivo simples: Não sei qual a próxima oportunidade que terei.

Não sei quanto a vocês, mas, não faço a mínima ideia de quanto tempo nos resta aqui nessa jornada. Terei mais um dia? Dez meses? Cinquenta anos? E meu primo? Durante quanto tempo poderei desfrutar de sua companhia?

Me deparei com essa questão pela primeira vez, há muito tempo, quando ouvi Renato Russo cantar: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar pra pensar, na verdade não há…

E não é que escutei essa música uns dias antes de receber a ligação de meu primo? Coincidência? Sincronicidade? Oportunidade? Na dúvida, não tive dúvidas: escolhi viver o aqui e agora.

Assim como fiz essa escolha, nos deparamos com diversas outras. Todos os dias.

Então, cabem as reflexões: Quais escolhas estou fazendo? Com que propósito? O que me motiva a fazer minhas escolhas?

Essas reflexões valem para todo tipo de relação. Profissional ou pessoal. Amizade ou relacionamento afetivo.

O que importa é que seja por inteiro. É que seja vivido no instante que está acontecendo. O importante é q sejam relacionamentos verdadeiros.

RELACIONAMENTOS POR INTEIRO…

Que cada beijo seja com sabor
Que cada palavra seja com amor

Que cada momento seja vivido
Que cada dia faça sentido

Que cada gesto seja de afeto
Que cada encontro seja completo

Por todo o infinito de um dia
Ou uma semana de pura alegria

Pra sempre ou em fevereiro
Viva o relacionamento por inteiro
.

AINDA SOBRE RELACIONAMENTOS…

Acredito em viver relacionamentos que iniciem e terminem todos os dias…
Como se não houvesse amanhã, sabe?

Como se não houvesse uma segunda oportunidade de fazer melhor…
Cada encontro um reencontro…

Cada bom dia um novo dia…
Cada boa noite, uma certeza:
Eu fui o melhor de mim…


.

Um minuto consciente faz a diferença

Temos diversos perfis nas redes sociais online, participamos de inúmeros grupos no WhatsApp e isso nos consome um tempo precioso…

Além disso, passamos minutos, às vezes horas, rolando as timelines do Instagram, do Facebook… Curtindo, compartilhando e fazendo comentários superficiais aqui e acolá…

E quando estamos, presencialmente, com outras pessoas, estamos sempre com pressa, falando pelos cotovelos, dispersos ao escutar o outro…

Estamos em um lugar, com alguém e de olho no próximo momento… E na tela do nosso smartphone, atentos às notificações…

Se as pessoas pensassem no que dizem, diriam menos, porque seria muito mais significativo o resultado da reflexão antes de falar.

Quando não pensamos no que estamos dizendo, dizemos mais coisas, porque as palavras perderam o sabor. E descrevem a superficialidade do nosso olhar distante…

Quando não percebemos o sabor nas coisas que vivemos e fazemos, nós multiplicamos as coisas que vivemos e fazemos… E falamos mais. E saímos mais. E fazemos mais festas… E temos mais “amigos”. E não paramos em casa. E arrumamos mais e mais compromissos…

Porque como nós não conseguimos estar em nossa própria companhia, nós queremos estar em todos os lugares. Porque não toleramos estar na nossa própria casa. Pensativos. Incomodados pelo barulho do silêncio…

Então, temos que estar no stress do dia-a-dia. Cheios de “coisas pra fazer”. Pra cima e pra baixo. Rodando, rodando, rodando… Até ficarmos tontos e perdermos a consciência de nós mesmos.

Vivemos na superfície, pois, não temos fôlego para suportar a profundidade da percepção, da contemplação, do auto-conhecimento.

Os nossos sentidos já não fazem mais sentido e poucos sabem ouvir a chuva caindo, um canto de um pássaro e, menos ainda, ouvir o outro… Poucos conseguem ver as cores do seu dia, na beleza de uma árvore frondosa, um arco-íris ou um pôr-do-sol… E quantos de nós lembra da última vez em que paramos para saborear uma bela refeição?

Se estamos na superficialidade do uso dos sentidos, o que dizer do (não) uso da percepção? O que dizer do desconhecimento da contemplação

Queremos tudo ao mesmo tempo. Queremos tudo pra ontem.

Queremos tanta coisa e, ao mesmo tempo, nos contentamos com o que encontramos na fina camada da vida superficial que levamos…

Convido você, que chegou até aqui, a parar um minuto…

Apenas pare um pouco e respire…

Você vai inspirar um pouco mais profundo e talvez até fechar os olhos por alguns segundos…

Vai perceber sons ao seu redor, cheiros… E ao abrir os olhos, talvez até note detalhes que você nunca tinha visto antes…

Se esse minutinho de pausa ajudou a trazer uma gotinha de consciência ao seu momento, imagine o oceano de #Luz, #Paz e #Amor que o uso apurado dos sentidos, a percepção e a contemplação trarão para a sua vida…

Namastê

 

Na superfície, sentimos falta da essência das pessoas… Somente quando aguçamos a nossa percepção e passamos a entrar em um estado elevado de consciência, podemos perceber a quantidade de pontos em que nossas almas se tocam…

(Pedro Cordier, CEO da Equilibra Digital, Professor de Pós Graduação, Life & Professional Coach, Especialista em Comunicação, Criatividade e Conectividade)

 

Quer obter resultados extraordinários? Faça algo EXTRA!

Se tem uma coisa, mais do que corriqueira, que está presenta na vida de muita gente por aí é a necessidade de se buscar “atalhos“.

As pessoas procuram caminhos mais curtos, meios mais fáceis de realizar tarefas. As pessoas visam a comodidade… Nada contra a otimização do tempo, mas, tenho que chamar a atenção para o “jeitinho” que costumamos dar nas coisas ao invés de buscar uma solução consistente.

Quando surge uma goteira em determinado cômodo da casa e a chuva começa a molhar o chão todo, o primeiro impulso é o de passar o pano no chão molhado e, em seguida, colocar um balde embaixo da goteira. Até aí, tudo bem, pois, o chão não pode continuar molhado e a água não pode continuar molhando o chão durante aquela chuva.

A questão é que o tal “jeitinho” (aqui exemplificado pela colocação do balde embaixo da goteira), pela sua “rápida implementação” e “custo baixo“, termina ficando ali durante toda a temporada de chuvas e, o que é pior, no próximo inverno, já saberemos “como resolver” o problema daquela goteira que COM CERTEZA vai estar lá: colocando o balde assim que começar a chover! Não é genial isso? NÃO MESMO!!

Um “jeitinho” como esse que foi dado para uma “simples goteira“, se for repetido, pode vir a se transformar em algo crônico e acabar sendo aplicado em questões bem mais complexas, trazendo resultados desastrosos para nossa vida!

A diferencia entre algo ORDINÁRIO (vulgar, medíocre, comum) e algo EXTRAORDINÁRIO (excepcional, em elevado grau, raro) é o fator EXTRA!!

Se fizermos apenas o mínimo necessário, veremos que o retorno será proporcional a esse esforço pífio e o resultado será apenas ordinário.

Personalidades como Oscar Schmidt e Ayrton Senna eram extremamente profissionais nos treinos, mas, foi a dedicação EXTRA que ajudou a transformá-los em verdadeiros ídolos brasileiros e ícones mundiais.

Oscar ficava na quadra treinando arremessos após os treinos, enquanto os outros atletas iam para suas casas. Ele chegava a praticar mais de mil vezes por dia.

oscar-schmidt

Senna, por sua vez, acreditava que aumentaria suas chances de sucesso com muito amor, dedicação, determinação, empenho, planejamento e metas definidas.

ayrton senna

“No que diz respeito ao desempenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem-feita ou não faz.” (Ayrton Senna)

Se o seu objetivo é tirar boas notas na faculdade ou passar em um concurso, reflita sobre as horas que você desperdiça vendo TV, navegando sem rumo na internet ou, simplesmente, “fazendo nada“…

Você almeja um melhor desempenho no seu mercado de trabalho e até nas suas relações pessoais? Então, reflita sobre seu empenho em manter suas conquistas e fomentar novas possibilidades de crescimento.

No mundo digital, a linha de raciocínio é exatamente a mesma! Já está mais do que na hora de otimizar seu tempo de navegação com coisas úteis e começar a construir a sua reputação online de forma inteligente.

Participar de grupos no Facebook ou de comunidades no Google+ como “Odeio segunda-feira” ou “Chefe é um saco“, não causam uma boa impressão para as empresas de recrutamento e seleção, que privilegiam muito mais a reputação online dos candidatos do que a mera análise de currículos.

É preciso prestar muita atenção em cada palavra, foto, vídeo ou qualquer tipo de coisa que você posta na rede, pois, tudo isso pode depor a seu favor ou contra, a depender do conteúdo que você disponibiliza.

O que eu tenho feito para me tornar uma pessoa melhor?” – Esse tipo de auto-análise, é o primeiro grande passo que devemos dar para conseguir sair da perigosa e traiçoeira “zona de conforto“.

Mas, de nada vai adiantar ficar apenas se questionando. É preciso uma boa dose de motivação e, acima de tudo ATITUDE para conseguir mudanças significativas em qualquer área da sua vida.

Como disse Thomas Edison, um dos maiores inventores de todos os tempos e outra figura EXTRAordinária:

Thomas A. Edison seen here in 1929 holding a replica of his first lamp.

A genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração“.

Infinitas Possibilidades de sucesso nos esperam. Façamos nossas escolhas!

© 2017 - TV Aratu - Todos Direitos Reservados
Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA