Ser criativo é uma questão de escolha… E atitude!

Muito se fala sobre CRIATIVIDADE, mas, você já parou pra pensar o assunto com um pouco mais de profundidade?

Apesar de muita gente resumir criatividade a “um processo de geração de ideias“, percebo o assunto como algo bem mais amplo. O resultado de um processo criativo, por exemplo, é algo que precisa ter alguma aplicação prática em nossas vidas.

Ideias criativas são importantes. Ponto. Porém, tornam-se bem mais valiosas quando são desenvolvidas, executadas, postas em prática… Elevando-se, assim, ao patamar de inovação.

Um outro ponto interessante é percebermos a criatividade como uma habilidade adquirida e não um talento que nasce conosco. Analisando dessa forma, poderemos nos sentir motivados a nos tornar pessoas mais criativas.

Isso depende de tempo, dedicação e esforço, é claro, mas, já nos permite escolher se queremos, ou não, implementar a criatividade em nossas vidas ao invés de, simplesmente, aceitarmos ser rotulados como “uma pessoa que não é criativa“.

Pensar de forma criativa envolve significativas mudanças comportamentais e cognitivas. Desde a maneira como encaramos as coisas ao nosso redor ao modo como agimos em relação à tudo aquilo que nos cerca.

Tornar-se mais criativo exige um aguçamento dos nossos sentidos e o desenvolvimento da nossa percepção…

miles davis

Segundo Miles Davis (Miles Dewey Davis Jr foi um trompetista, compositor e bandleader de jazz norte-americano. Considerado um dos mais influentes músicos do século XX): “se alguém quiser se manter criativo, é preciso que esteja pronto para mudar”.

Então, fica evidente que as pessoas que fazem sempre as mesmas coisas, do mesmo modo, dificilmente desenvolverão seu potencial criativo.

Se você deseja ser uma pessoa criativa, esteja aberto para mudanças. Esteja sempre predisposto para mudar paradigmas, fazer novas escolhas, experimentar… E, com isso, obter todas os benefícios de sua criatividade.

howard gardner

Vale aproveitar o contexto para esclarecer mais um ponto polêmico: apesar de co-relacionadas, criatividade e inteligência não são a mesma coisa, ou seja, é possível nos depararmos com pessoas muito inteligentes e pouco criativas e vice-versa.

De acordo com Howard Gardner (psicólogo cognitivo e educacional estado-unidense, conhecido em especial pela sua teoria das inteligências múltiplas. Ele é professor de Cognição e Educação na Universidade de Harvard, professor adjunto de neurologia na Universidade de Boston), “(…) quando os indivíduos talentosos são examinados, fica claro que a criatividade psicométrica é independente da inteligência psicométrica, uma vez que tenha atingido o limiar de um QI de 120”.

Uma coisa todos concordamos: se tem uma coisa que não é facilmente explicável é o processo criativo. Muita gente fala coisas como: “Me bateu uma inspiração” ou “essa ideia veio do nada. Apareceu na minha mente”. Mesmo quando acabamos de ter uma ideia brilhante, geralmente não conseguimos identificar a sua origem.

No entanto, não existe mágica: a criatividade é uma habilidade (e, como tal, pode ser desenvolvida) que nos permite criar ou perceber novos padrões que não havíamos identificado anteriormente.

Ou seja, nenhum criativo consegue seguir adiante sem experiências ou fatos prévios. Ninguém cria do nada ou com o nada. Sua criatividade depende, umbilicalmente, dos livros que você lê, dos filmes que assiste, dos amigos com quem você se relaciona, das experiências que você vive…

Desse modo, a concepção de criatividade como um momento mágico e instantâneo é bem diferente da realidade. É bem verdade que a criatividade envolve a produção constante de novas ideias, mas todas a partir da conexão à uma base de conhecimentos pré existente.

Toda ideia gerada por um processo criativo, por mais inédita que seja, sempre estará conectada, na sua origem, a diversos outros conhecimentos previamente adquiridos.

pedro-cordier-professor-mba-especialista-comunicacao-criatividade-e-conectividade-

Portanto, fique ciente que quanto mais você abre a sua mente e se conecta com novas possibilidades, mais criativo você se torna. Mais ideias você tem. Mais inovação você gera…

Ser criativo é uma questão de escolha… E, mais, ainda, ser criativo é uma questão de atitude!

(Pedro Cordier, CEO da Equilibra Digital, Professor de Pós Graduação, Life & Professional Coach, Especialista em Comunicação, Criatividade e Conectividade)