FEMINISTA SIM!

Quero te explicar uma coisa: uma das minhas principais “missões” desde que me encontrei como feminista é desfazer imagens estereotipadas e conceitos errados que as pessoas têm do movimento.

Tem gente que teve uma “experiência” ruim com uma feminista e fala que “toda feminista é revoltada”. Não, miga. Eu sou feminista e não me considero revoltada. Mas a revolta existe e é um direito de quem quer se revoltar, só que não significa que isso seja uma “política” do movimento. A gente reclama e problematiza sim! Às vezes isso choca, pois as pessoas não estão acostumadas a verem mulheres bradando o que as incomoda – e que muitas vezes é considerado “só uma brincadeira”.

As generalizações são uma merda.

Quantas vezes eu já escutei “Mas você é feminista? Depilada e maquiada?”. Que eu saiba não existe nenhum livro de regras no feminismo e nada que me mande deixar os pelos da axila ou abolir a maquiagem. Faz quem quer. Nem toda mulher é vaidosa e nem por isso pode deixar de ser considerada mulher. Minha vaidade não me impede de acreditar na igualdade social, política e econômica dos gêneros.

É complicado. Estamos na era dos especialistas de facebook: gente que acha que sabe de tudo e pode opinar sobre qualquer coisa. Já vi um homem que estava fazendo afirmações (todas erradas) sobre feminismo e ainda me disse “deixa eu te explicar a realidade”. OI?

Parem. Respirem. Perguntem. Tenham a cabeça aberta para entender uma realidade que talvez não seja a sua – mas termina sendo, pois você também é mulher. Saiba que o feminismo não é o contrário de machismo e muito menos é algo ruim. Não venha com 7 pedras na mão para jogar em algo que você não entende muito sobre. Tenha empatia. Tenha a humildade de assumir que você não sabe algo. Pare de achismo. Você pode até não concordar com o que eu penso, mas respeite para que possamos conviver pacificamente. Pelo menos entenda o geral para parar de passar vergonha em público e poupar minha sanidade mental (rs!).

O feminismo abriu minha mente para tantas coisas! Inclusive para entender que seu pensamento contrário é comum. Não te culpo. Você é vítima do patriarcado, por mais que ache que não é. Você tem aquela falsa sensação de privilégio e fala mal das feministas para “ficar bem na fita” com os homens ou com a revolta de algo que aconteceu com você – lembre que nem todo mundo é assim. Leva tempo mesmo! Talvez agora seja sua hora de entender a ordem natural das coisas, talvez não. Eu “treino” todos os dias para ter paciência e te peço que venha em paz, pois você será bem recebida.

Beijos

Paula

 

Nenhum Comentário

Os comentários estão desativados.